Fevereiro 2002

S.Pedro de Moel I
Conjunção Júpiter-Lua

2002.02.23
S.Pedro de Moel
02:20 ás 04:10 TU
Magnitude zénite: N/A Antoniadi: IV (instável).
Dobson Newtoniano Brightstar Spacewalker 200mm f/6com apontador 6x30, Plossl 32mm (38x 78'), Radian 14mm (87x 41'). Câmara digital Canon Powershot G1.

A altitude dos dois objectos na hora do evento era inferior a 7 graus o que resultou em fotografias de qualidade tão variável como a turbulência atmosférica, de qualquer modo foi interessante para mim e para a cerca de uma dezena de jovens que iam aparecendo pelo local.

Conjunção Júpiter-Lua
2:20.
O tempo parecia querer estar a colaborar. Praia de S.Pedro de Moel iluminada pelo Luar e luzes da marginal.

Conjunção Júpiter-Lua
2:51
Já era possível capturar no mesmo campo os dois astros com a plossl de 32mm.

Conjunção Júpiter-Lua
02:58 - Júpiter cada vez mais próximo.
Embora a fotografia não os tenha capturado, os satélites eram bem visíveis e estavam todos alinhados na direcção da Lua. Entretanto o Europa já se tinha escondido atrás de Júpiter.
 

Conjunção Júpiter-Lua
03:10
Tentativa de capturar os satélites sobre-expondo a fotografia, mas a turbulência atmosférica fazia disso uma autêntica lotaria.
Esta é das melhores que consegui tirar.

Conjunção Júpiter-Lua
03:15 - e vai aproximando-se... 5 minutos após a fotografia anterior.

Conjunção Júpiter-Lua
03:19 - Algo terá atravessado o disco lunar.
E não me lembro ter visto nenhum avião (luzes). Rastro de um meteoro talvez ? . A fotografia está corrigida em ambos os eixos e em inclinação da Lua na altura.

Conjunção Júpiter-Lua
03:31 a 03:41 - Conjunção no seu afastamento menor
A turbulência atmosférica encarregou-se de estragar algumas foi pena.

Conjunção Júpiter-Lua
04:00 - Um "Pôr-da-Lua" - ainda se nota um pontinho e Júpiter em baixo à direita.


Observatório do Pinhal do Rei XXI

2002.02.16
Recinto Obs. Astronómico Pinhal do Rei (39.75N 9.00W alt:93m)
18:50 ás 21:30 TU
Magnitude zénite:5+ Antoniadi: II (estável). Céu limpo com neblina até aos 30 graus no horizonte e subindo ao longo da sessão. Temperatura a baixar muito a partir das 21:00.
Dobson Newtoniano Brightstar Spacewalker 200mm f/6com Quickfinder e apontador 6x30,Plossl 32mm (38x 78'), Panoptic 19mm (63x 64'), Radian 14mm (87x 41'), Nagler 9mm (133x 37'), Sky Atlas 2000.0 (Tirion), Orion Deepmap 600.

Umas horas antes tirei umas fotografias ao astro-rei.

Sol em 16-Fevereiro-2002
Sol em 16-Fevereiro-2002
Afocal ETX90EC+32mm+Canon G1.
Sol em 16-Fevereiro-2002
Sol em 16-Fevereiro-2002
Afocal ETX90EC+14mm+Canon G1 (3x).
Sol em 16-Fevereiro-2002
Sol em 16-Fevereiro-2002
Afocal ETX90EC+14mm+Canon G1 (3x).

Mais uma saída até ao pinhal para avistar mais um cometa - o Ikeya-Zhang - que anda neste momento pela a constelação da Baleia (Cetus). aproveitei ainda para observar e fotografar a Lua na fase crescente que fazia um para algo distante com o diminuto planeta Marte.

Pôr do Sol
Pôr do Sol com crescente da Lua - eram 19:00 horas

Lua e Marte
Lua e Marte a 7 graus de distância. Fotografia sobre-exposta para captar a luz da Terra a reflectir na parte não iluminada da Lua.

A lua estava especialmente agradável de observar, sendo até muito fácil ver detalhe na zona iluminada pela Terra.

Lua em 16-Fevereiro-2002
Lua em 16-Fevereiro-2002
Afocal Dob20cm+32mm+Canon G1.
Lua com a fase a 17,3% com grande destaque para o Mare Crisium (Mares das Crises)
Lua em 16-Fevereiro-2002
Lua em 16-Fevereiro-2002
Afocal Dob20cm+14mm+Canon G1.
Mare Crisium tem 570 km de diâmetro e teve origem num impacto, snedo posteriormente submergida por grossas camadas de lava.
Lua em 16-Fevereiro-2002
Lua em 16-Fevereiro-2002
Afocal Dob20cm+14mm+Canon G1.
Mare Fecundatis que alberga a dupla cratera de Messier (aqueles dois pontos negros no meio do mare). Com algm cuidado pode-se observar grandes raios brilhantes de uma delas
Lua em 16-Fevereiro-2002
Lua em 16-Fevereiro-2002
Afocal Dob20cm+14mm+Canon G1.
Valis Rheita - É o maior vale desta face da Lua com cerca de 500 km de extensão que vai "desaguar" á cratera também chamada Reitha. Encontra-se bastante erodido e tem zonas com mais de 30 km de largura. Lá perto já se consegue distinguir a Jansen qu é uma enorme planície murada com sistema de falhas - ainda se consegue distinguir a maior fenda que a atravessa ao meio e que tem 6 km de largura

Cometa C/2002 C1 Ikeya-Zhang

O cometa bem mais brilhante do que estava à espera, tendo em conta que a Lua estava tão próxima (a cerca de 14 graus). Eram já cerca de 19:40, ainda não completamente de noite quando o detectei acima da copa de um pinheiro com o binóculo de 10x42. Apontando o dob de 20cm verifiquei que aparenta ter um tamanho até razoável e não era completamente redondo, não detectei nenhuma cauda. Lá muito perto estava uma estrela de magnitude 8 que desfocada parecia ter menor brilho, dando ao cometa uma magnitude acima de 8. Foram poucos minutos mas suficientes para dar a primeira olhadela a este visitante.

De seguida começou o festival dos satélites artificiais que se segue ao "twilight", ficando 10 minutos a buscar à vista desarmada e com o binóculo - consegui encontrar nesse espaço de tempo 4 deles.

Cão Maior

- Enxame aberto NGC 2354 (H 91) mag 9.0 dim 20.0' classe III 2 m
Três dezenas de estrelas de diversa magnitudes espalhadas por uma grande área concentrand em algumas áreas. Embora não pareça um enxame aberto muito regular, ainda se destaca nesta zona populada com muitas estrelas da zona.

- Nebulosa de emissão NGC 2359 (D 34) "Nebulosa do Pato" dim 9' x 6'
Esta nebulosa deu alguma luta a encontrar - só com a 32mm e filtro é que a consegui detectar, pois embora de dimensões razoáveis é muito ténue. Pode-se descrever como uma nebulosidade de com formato rectangular ,muito difusa, onde estão espalhadas meia dúzia de estrelas de magnitude 11 e menor.

Popa (Puppis)

- Enxame aberto NGC 2539 (H 113, D 36) mag 8.0 dim 22.0' classe II 1 m
Enxame de grandes dimensões com umas boas dezenas de estrelas de magnitude 10 ou maior irregularmente espalhadas. Inserida no enxame perto está bem brilhante e alaranjada 19 Puppis que não é membro. Poderia ser um Messier.

Depois de ter andado mais de meia hora a tentar encontrar a planetária NGC 2440 em Popa e o enxame NGC2204 em Cão Maior, fui ver se me animava revisitando todos os objectos brilhantes que estavam em exibição. Enfim, há dias que não corre muito bem a caça. Estava a começar a ficar frio e o vento estava a começar a assobiar e neblina a subir cada vez mais então lá me fui embora.



Pátio 52

2002.02.14
Pátio (Leiria 39.75N 8.82W alt:60m)
Horas: 23:00 ás 00:30 TU
Magnitude zénite:4+ Antoniadi: III (estável-). Céu aparentemente sem nuvens mas provavelmente com nuvens altas. Ligeira neblina e fumo de chaminés. Temperatura < 10 graus.
Dobson Newtoniano Brightstar Spacewalker 200mm f/6com apontador 6x30, , Panoptic 19mm (63x 64'), Nagler 9mm (133x 37'), Sky Atlas 2000.0 (Tirion).

Nesta sessão revisitei muitos dos objectos que tenho andado a observar últimamente e também alguns que já na via a alguns meses tais como as galáxias M81, M82 e a planetaria M97. Fiquei sinceramente impressionado com as galáxias M81/M82 que eram visíveis no mesmo campo da pan19, e que revelavam um detalhe espantoso a 133x (nag9). Melhor observação deste par até à data ( graças em grande parte a estarem a transitar o meridiano) - Fiquei meia hora a observá-las.

Hydra

- Enxame aberto M 48 (NGC 2548, H 114) mag 5.8 dim 54.0' class I 2 m
Enxame de grande tamanho que mal cabe no campo de um grau da Pan 19, talvez assim perdendo algum do seu encanto. Consegue-se observar várias dezenas de estrelas com magnitude semelhante espalhadas por todo o campo de visão. Na parte central as estrelas em cadeia aparentam formar um semi-círculo. Bom para pequenos telescópios. Está situado a 1500 anos-luz.



Observatório do Pinhal do Rei XX

2002.02.12
Recinto Obs. Astronómico Pinhal do Rei (39.75N 9.00W alt:93m)
20:00 ás 21:30 TU
Magnitude zénite:5+ Antoniadi: II (estável). Céu pouco nublado com neblina até aos 20 graus no horizonte e subindo ao longo da sessão. Temperatura amena.
Dobson Newtoniano Brightstar Spacewalker 200mm f/6com apontador 6x30, , Panoptic 19mm (63x 64'), Nagler 9mm (133x 37'), Sky Atlas 2000.0 (Tirion).

Antes da observação tirei algumas fotografias ao nosso Sol

Sol em 12-Fevereiro-2002
Sol em 12-Fevereiro-2002
Afocal ETX90EC+32mm+Canon G1.
Sol em 12-Fevereiro-2002
Sol em 12-Fevereiro-2002
Afocal ETX90EC+14mm+Canon G1 (3x).
Sol em 12-Fevereiro-2002
Sol em 12-Fevereiro-2002
Afocal ETX90EC+14mm+Canon G1 (3x).

Neste mês de Fevereiro as condições meteorológicas têm estado muito adversas à observação, se não são as nuvens, são as neblinas e nevoeiro, enfim... Mesmo com a ameaça da neblina galopante, rumei para o pinhal para mais uma infelizmente pequena observação.
Enquanto o telescópio estabilizava fui tirando mais algumas fotografias para ilustrar estes relatos, na qual resultou a clássica fotografia de rotação da Terra.

Polaris em 12-Fevereiro-2002
Polaris em 12-Fevereiro-2002
6 fotos separadas em 8 minutos da estrela polar

Apesar da neblina, a estabilidade atmosférica até era razoável pois no Trapézio em Orion foi possível observar sem grande esforço mais duas estrelas (E e a F) que o habitual e usando apenas 63x de magnificação (pan 19mm). Revisitei ainda alguns dos objectos que já tinha observado no meu pátio, tais como a nebulosa variável de Hubble, a Árvore de Natal entre outros.

Unicornio (Monoceros)

- Enxame aberto NGC 2244 (C 50 H 78) mag 4.8 dim 24.0 class II 3 r n
- Nebulosa NGC 2237-9 (C 49) "Rosette Nebula" dim 80 x 60 class E

Estes objectos formam uma das nebulosas e enxame mais espectaculares para se fotografar. O enxame 2244 tem grandes dimensões e é constituído por uma dezena de estrelas muito brilhantes (tipo O - branco-azuis) relativamente espalhadas numa área densamente populada de estrelas onde ainda se destaca a amarelada 12 monocerotis (que não pertence ao enxame pois está apenas a 600 anos-luz). Estas estrelas tipo O são muito rilhantes e começaram a brilhar a apenas meio milhão de anos.
Embora extremamente ténue sempre dá a ligeira impressão de estar embebido na enorme nebulosa que nas fotografias se assemelha a uma rosa. Embora não tivesse ocular com campo suficiente para a enquadrar convenientemente uma nebulosa deste tamanho, no entanto foi possível reparar em certas zonas "enubladas" mexendo o tubo do telescópio, especialmente nas redondezas das estrelas mais brilhantes. Conseguia-se detectar estes dois objectos a olho nú. Ambos estão a 5000 anos-luz.

Popa (Puppis)

- Enxame aberto M 93 (NGC 2447) mag 6.2 dim 22.0' class IV 1 p
Enxame brilhante agrupando cerca de 2 dezenas de estrelas com magnitude moderada agrupadas num formato alongado e condensado que se destaca bem na área que é bem populada de estrelas de menor brilho. Existe alguma nebulosidade fazendo adivinhar mais algumas estrelas por resolver em aberturas maiores. Vou tentar fotografá-lo.



Aeródromo III

2002.02.09
Aeródromo da Gândara do Olivais ( 39.77N 8.82W alt:52m)
NA
As piores possiveis :)
Canon G1 e tripé.

Nuvens, Nevoeiro, Lua Cheia e Poluição Luminosa.
Nuvens, Nevoeiro, Lua Cheia e Poluição Luminosa.
Canon Powershot G1. Composição de várias fotografias com factores pouco desejáveis,


Pátio 51
Animação do Movimento do asteróide Vesta na constelação de Touro

2002.02.08
Pátio (Leiria 39.75N 8.82W alt:60m)e arredores
NA
algumas das fotos com bastante poluição luminosa
Canon G1 e tripé.

Depois de ler na revista Astronomy que o Vesta estava bem posicionado para ser observado (e fotografado), decidi capturar a sua posição durante 4 dias.

asteróide Vesta
Uma animação do asteróide Vesta que anda a passear nesta altura em Touro. Fazer uma busca na Net sobre a variável V471 que até se encontra informação bastante interessante. Canon Powershot G1 f2.5 8s 50 ASA. 3 fotos num período de 4 dias. Reparar na variável V471 que embora varie entre magnitudes 9-10 está perfeitamente visível.
Clicar aqui para ver fotografia no contexto geral