Maio 2003

Observatório do Pinhal do Rei XXVI
Mais uns milhares de estrelas

2003.05.21
Recinto Obs. Astronómico Pinhal do Rei (39.75N 9.00W alt:93m)
09:00-00:00++ TU.
Magnitude ~5. Céu limpo mas com neblinas. Turbulência.
Takahashi FC-60 60mm f/8.3 (500mm) montagem Sky Patrol II. Nikon FM2 50mm f/4 e Canon G1.

Esta foi a minha primeira incursão na astrofotografia de longa exposição. Como iniciante comecei pela a tradicional lente de 50mm e tirar algumas fotos de grande campo.

Usei a câmara Nikon FM2 em "piggyback" na montagem Sky Patrol com uma lente de 50mm Nikon f/1.8D fechada a f/4 para ter estrelas pontuais até ao extremo do fotograma, o que se revelou ser verdade - Para a próxima irei experimentar a f/2.8 para ver como sai. Também verifiquei com alívio que a marca de infinito na objectiva é realmente infinito.

Foi a primeira vez que tentei fotografar com exposições maiores que 8 segundos, exceptuando as fotos em tripé fixo até 30 segundos, e verifiquei que a pequena montagem Tak não teve grandes problemas em carregar tudo (telescópio e câmara) convenientemente, não sendo necessário aplicar qualquer correcção.
De notar que a montagem foi apenas alinhada com bússola magnética e altitude foi aproximada "a olho", mas no entanto foi suficiente para um comprimento focal de 50mm - estrelas redondinhas como se pode confirmar nas fotos. Obviamente para distâncias focais maiores vou ter que garantir mais precisão no alinhamento.

Praticamente todas a fotos (16) têm exposições 8 minutos sobre filme Fuji Superia 400, que não me pareceu grande coisa sendo um bocado "deslavado", cobrindo uma área rectangular com perto de 45° de diagonal, chegando a registar estrelas com magnitude 10.
Isto apesar das neblinas (altas e baixas) e da cada vez maior poluição luminosa nesta área que de resto está bem patente em praticamente todas as fotos, embora algo exarcebada pelas as neblinas.
Com as condições deste local talvez pudesse fazer exposições um pouco maiores (10/12 minutos) antes da foto ficar afogada no "sky fog".

As fotos foram então reveladas (é realmente escusado imprimir) e os negativos foram passados a digital (1200 DPI) com o remediado scanner HP5370C e adaptador de transparências. sendo as imagens cortadas por 1000x1600 dos negativos sem redimensionamento. Níveis e "Unsharps" ao gosto do momento, sendo o processamento bastante básico nesta altura. As fotos não são nenhumas "Akira Fuji" mas são um bom começo... penso eu...

Hercules e Lira Hercules e Lira
Hercules e Lira
Exposições de 8 minutos com as constelações ainda a nascer. A Via Láctea já dá o ar da sua graça na foto de Lira (direita), mas ainda está mergulhada na poluição luminosa da Marinha Grande. Na foto de Hércules é possível ver o clarão de uns farois de automóvel que entrou no recinto...
(clique na imagem - click on the image)


Leão, Virgem e Coroa BorealLeão, Virgem e Coroa Boreal
Leão, Virgem e Coroa Boreal
Leão, Virgem e Coroa Boreal
(clique na imagem - click on the image)

 

O Enxame da Cabeleira

O Enxame da Cabeleira
O Enxame da Cabeleira
Acima está uma foto digital 200 e 8 segundos asa tirada com a Canon G1 e abaixo uma foto de 4 minutos com Nikon.

 

Equipamento Equipamento
Equipamento
A Nikon foi montada no eixo da montagem, servindo também ela de contra-peso (toque bem funcional na minha opinião).
A câmara era orientada usando um pequena bola Gitzo.
(clique na imagem - click on the image)


Pátio 117
Mais algumas estrelas com a webcam

2003.05.20
Pátio (Leiria 39.75N 8.82W alt:60m)
10:00-00:00++ TU.
Céu limpo. Turbulência
Takahashi FC-60 60mm f/8.3 (500mm) Powermate 2.5x (f/20 1250mm) e montagem Sky Patrol II

Mais uma sessão de aprendizagem e experimentação do setup de astrofografia com webcam e piggyback. Serviu para ir ganhando experiência no alinhamento, apontamento, focagem, captura e processamento de imagens digitais.

Alcor e Mizar
Alcor e Mizar
Alcor está separada da Mizar em 12 minutos de arco, sendo um bom teste para a visão directa.
A Mizar tem uma separação de 14.5"' e as magnitudes dos componentes são de 2.27 e 3.95. A Mizar também é ela própria uma dupla tendo sido a primeira a ser descoberta por espectroscopia.

 

Cor Caroli Arcturus
Cor Caroli e Arcturus
A alfa de Cães de Caça e o laranja da estrela Arcturis (alfa do Boeiro).


Pátio 116
Eclipse Lunar Total

2003.05.16
Pátio (Leiria 39.75N 8.82W alt:60m) e S.Pedro de Moel
00:00-05:00++ TU.
Céu muito nublado.
Takahashi FC-60 60mm f/8.33 (500mm),Radian 14mm (36x 101'), barlow 2.4x (86x) e Canon G1..

Este foi o primeiro dos dois eclipses totais da Lua que poderão ser observados0 este ano em Portugal. Infelizmente as condições meteorológicas (nuvens) não permitiram observar o evento aqui do Pátio, tendo que me deslocar "in extremis" até à praia de S. Pedro de Moel para conseguir observar/registar alguma coisa para mais tarde recordar.

Lua às 00:19 TU
Lua às 00:19 TU
Foto da Lua 40 minutos antes de entrar na penumbra mas no entanto já bem filtrda pelas nuvens.
As minhas previsões locais/ satélite não davam grande esperança, mas ainda fiquei pelo pátio até perto das 4 e meia...

 

Lua às 04:22 TU
Lua às 04:22 TU
Foto da Lua 14 minutos após o fim da totalidade. A foto de consolo...

 

Lua às 04:52 TU
Lua às 04:52 TU
Foto da Lua 44 minutos após o fim da totalidade. Já era bem de dia.

 

Lua às 04:51 TU
Lua às 04:51 TU
Foto da Lua 43 minutos após o fim da totalidade.
A cena em grande campo formando conjunto com uma traineira que se encotrava na faina.


Pátio 115
Astrofotografia com webcam

2003.05.10
Pátio (Leiria 39.75N 8.82W alt:60m)
19:00-22:00++ TU.
Mag ~3.Céu pouco nublado. Alguma turbulência.
Takahashi FC-60 60mm f/8.3 (500mm) com extenderQ e Powermate 2.5x (f/34 2062mm) e montagem Sky Patrol II.

Desta vez andei às voltas com uma webcam. Ainda bem de dia comecei pelo o alvo mais fácil - a Lua. Depois de ter montado tudo no pátio, experimentei diversas combinações até que achei o melhor compromisso para o pequeno Tak - ExtenderQ + a Powermate 2.5x dando um comprimento focal com mais de 2 metros com uma relação de f/34. Este comprimento focal usado com a Toucam pro resulta numa amostragem de 0.56 segundos de arco por pixel, cerca de 3.5x menos que o limite de Dawes para 60mm que é 1.91 segundos de arco.
Todas as imagens são "crops" do resultado automático do Registax 1.1, posteriormente nivelados e aplicados ligeiros unsharps no Photoshop.

Equipamento
Equipamento
Esta configuração faz mesmo lembrar um papa-formigas alienígena como já alguém engraçadamente o descreveu, mas o que interessa é que o setup esteve à altura dos seus mais de 2 metros de comprimento focal - inclusivé o pequeno mas preciso motor da Sky Patrol que se portou às mil maravilhas.

 

Clavius, Tycho
Clavius, Tycho
Tendo em conta que nesta altura mal se via Júpiter o contraste até nem ficou mau. Bons detalhes para apenas 60mm.

 

Plato e Vallis Alpes às 19:38 TU
Plato e Vallis Alpes às 19:38 TU
Não propriamente muito focada, mas ainda escapa.

 

Copernicus, Eratosthenes,Stadius
Copernicus, Eratosthenes,Stadius
Ficou bem visível a cadeia de crateras que está norte da Stadium

 

Júpiter às 20:01 TU
Júpiter às 20:01 TU
No planeta nota-se ainda algum detalhe e uma pequena concentração no NEB. Ganimede está direita à e Io à esquerda Não está muito notória mas a GMV ainda se nota.

 

Júpiter às 21:52 TU
Júpiter às 21:52 TU
Quase duas horas depois com a sombra de Ganimede a transitar.

 

Algieba (gamma de Leão)
Algieba (gamma de Leão)
Tem uma separação de 4.6"' e as magnitudes dos componentes são de 2.33 e 3.48.


Pátio 114
Conjunção Lua Júpiter M44, estrelas duplas e Lua

2003.05.08
Pátio (Leiria 39.75N 8.82W alt:60m)
22:00-23:00++ TU.
Mag ~3.Céu pouco nublado. Turbulência.
Takahashi FC-60 60mm f/8.3 (500mm) e montagem Sky Patrol II, Televue Radian 14mm (36x 101') e Canon G1 com adaptador.

Mais outra sessão astrofotográfica no Pátio para ver as possibilidades de uma configuração afocal.
A configuração acima permite usando o zoom da máquina fotografar num comprimento focal efectivo que varia entre f/20 (1,2 metros) e f/60 (3,6 metros), tendo uma amostragem de 3"/pixel e 1"/pixel respectivamente. O facto da Canon G1 estar limitada a apenas 8 segundos de exposição máxima, cedo se esgotam os objectos de céu profundo "fotografáveis".

3 em 1 - Lua, Júpiter e M44 às 21:04 TU
3 em 1 - Lua, Júpiter e M44 às 21:04 TU
Queimar a Lua é inevitável, mas contudo o enxame M44 ainda dá para preceber e também alguns dos satélites de Júpiter-
foto de 8 segundos de exposição a 150mm f/2.5 em piggy-back

 

Cor Caroli (alfa de Cães de Caça)
Cor Caroli (alfa de Cães de Caça)
Esta dupla está no meu "top10". Tem uma separação de 19.3'' e a magnitude dos componentes são de 2.9 e 5.61.
foto de 2 segundos de exposição a f/60

 

Algieba (gamma de Leão)
Algieba (gamma de Leão)
Tem uma separação de 4.6"' e as magnitudes dos componentes são de 2.33 e 3.48.
foto de 1 segundo de exposição a f/60

 

Maurolycus
Maurolycus
foto de 1/10 segundo de exposição a f/60

 

Montes Caucasus,Montes Apenninus, Cassini (57km)
Montes Caucasus,Montes Apenninus, Cassini (57km)
foto de 1/8 segundo de exposição a f/60


Aeródromo XV
Trânsito de Mercúrio

2003.05.07
Aeródromo da Gândara do Olivais ( 39.77N 8.82W alt:52m)
06:00-11:00++ TU.
Céu pouco nublado.
Takahashi FC-60 60mm f/8.33 (500mm) + Baader visual, Radian 14mm, barlow 2.4x, Canon G1 (34mm) - f/48.7 (2922mm) (86x 42')

Um evento deveras raro. Só vão acontecer 14 trânsitos de Mercúrio neste século e 5 deles não vão ser observáveis em Portugal, sendo este o primeiro do século XXI. O próximo só para 9 de Maio de 2016 (14:57).
Tive pena não ter sido possível observar o seu início, e também de também um pouco de turbulência atmosférica, mas tendo olhado para as fotografias de satélite foi uma sorte ter estado razoavelmente limpo, pois se estivesse 15 km mais para o interior estaria completamente tapado.

O equipamento
O equipamento
Takahashi FC60 60mm montado numa Sky Patrol II num tripé fotográfico. Toda a sessão foi feita com uma magnificação de 86x.

 

Mercúrio ás 08:15 TU
Mercúrio ás 08:15 TU
Visualmente a sombra do planeta era um círculo negro perfeito. Também era aparente um efeito 3D. A turbulência foi por vezes muito forte sendo esta foi uma das melhores fotos.

 

Mercúrio ás 10:30 TU
Mercúrio ás 10:30 TU
Pequena dentada no limbo solar pouco após o contacto III (10:28:22seg TU precisão de 1 segundo)

 

Animação do Trânsito de Mercúrio
Animação do Trânsito de Mercúrio
Animação com 18 fotos com 15 minutos de intervalo 06:15-10:35 TU.
A animação não está muito perfeita porque as fotos foram tiradas sem qualquer adaptador (à mão).
(clique na imagem - click on the image)
Atenção 525k


ENA - Uma noite nas trilhas dos dinossáurios

2003.05.03
Pedreira do Galinha (Fátima)
14:00-06:00++ TU.
Mag ~5.Céu pouco nublado com poucos períodos de vento.
Diversos.

De volta de mais um Encontro Nacional de Astronomia (ENA) organizado pelo Núcleo de Astronomia do Concelho de Ourém (NACO), desta vez realizado no Monumento Nacional da Pedreira da Galinha, onde se encontram algumas das maiores (e a maior) trilhas de dinossáurios do Mundo. O facto de não me lembrar de ter ainda observado algum objecto cuja a luz tenha viajado tanto tempo como a idade das trilhas, que se estimam ter sido feitas há 175 milhões de anos diz-me que realmente foi há muito tempo.

Monumento Natural Pedreira do Galinha
Monumento Natural Pedreira do Galinha
Vista panorâmica e das principais trilhas feitas pelos bichos.
.(clique na imagem - click on the image)

Durante o dia realizaram-se diversas palestras acerca de buracos negros, Pedro Nunes, instrumentos de navegação, e sobre as distâncias có(s)micas com a introdução de uma pitoresca nova medida de distância (dias a pé). Houve inclusivé uma sobre o Monumento o Parque e os dinossáurios. Lá fora esteve um LX200 de serviço ao Sol, que fazia soltar as habituais exclamações do tipo "a lente está suja".

Também durante a tarde estiveram presentes dois "dealers", a Galáctica e a Perseu com bancadas bem recheadas de "brinquedos".

Depois do jantar presenteado pela a organização, deu-se início à também tradicional sessão de observação, onde chegou a estar talvez montados uma dúzia de telescópios, havendo até que se tenha dedicado à astrofotografia com webcam.

As condições atmosféricas apesar de não terem sido do tipo "monte alentejano no meio de nada", foram no entanto adequadas para o tipo de evento, havendo algumas áreas com focos de poluição que restringiram a visibilidade abaixo dos 15 graus do horizonte, mas tal não evitou que muito pessoal tenha ficado até bem tarde e mesmo até depois do Sol nascer. Apesar de alguns períodos de vento, a noite passou-se de forma bastante agradável e com muito pouca humidade.

Uma altura interessante na sessão foi a aparição de um satélite Iridium que surgiu com uma precisão suiça, na hora e local previsto pelo Heavens-Above (http://www.heavens-above.com/). Ao fim da noite também foi possível observar outro de igual intensidade mas a Sul.

Iridum 17 ás 21:59 TU
Iridum 17 ás 21:59 TU
Um satélite iridium fez mais uma das suas espampanantes aparições logo abaixo da constelação de Hércules, sendo a estrelas mais brilhante da imagem a sua estrela pi.
A magnitude prevista pelo Heavens-Above era de -7, mas pareceu-nos um pouco menos brilhante.

Durante a sessão e até bem de tarde houve bastante azáfama na área de observação, onde várias dezenas de pessoas iam saltitando de telescópio em telescópio, havendo até algumas "horas-de-ponta" em alguns deles.

Da minha parte em termos de observação astronómica, apenas revi muitos dos meus objectos favoritos da Primavera, como a M27/M57 e as nebulosas de Sagitário entre outros, saltitando de telescópio em telescópio durante grande parte da noite.
Dos bastantes objectos observados, fiquei especialmente impressionado com a performance do filtro UHC nas nebulosas/enxames M8 (Lagoa) na qual fez aumentar 500% a nebulosidade observada, na M20 (Trífida), com os rasgos bem demarcados e na M17 (Cisne) que para além do pássaro, notava-se que estavar a largar penas por todo o lado :)).

Marte foi a partir das 4 da manhã o principal alvo, dando nalguns raros momentos de estabilidade uma visão bem clara de alguns pormenores da superfície do seu disco com quase 10" - na área do Mare Erythraeum - e também de uma bem notória calote polar no seu Sul, sendo até bem visível no 60mm (+200x).

Marte e o dinossáurio ás 04:38 TU
Marte e o dinossáurio ás 04:38 TU
Marte já tendo um magnitude negativa já o torna facilmente "conjuncionável" até com dinossáurios.

Já passado o crepúsculo astronómico, fechou-se a noite no psicadélico Vénus ainda muito baixo no horizonte. Isto é, fechou-se só mesmo o ciclo , pois já mal o Sol tinha despontado já o LX200 estava para lá apontado, para quem desejasse dar uma espreitadela a seguir ao pequeno almoço ou antes de ir deitar com foi o meu caso...


Capuchos VII
Ocaso do Sol e Crescente Lunar

2003.05.02
Capuchos - Leiria
19:00-20:30 TU.
Céu pouco nublado
Takahashi FC-60 60mm f/8.33 (500mm), Radian 14mm (36x 101'), Nagler 9mm type6 (56x 89'), Televue Powermate 2.5x.

 

Ocaso do Sol ás 19:25 TU
Ocaso do Sol ás 19:25 TU
Atmosfera no seu pior.
1 foto de meio segundo (Tak+ radian 14mm com filtro baader).

Crescente fino da Lua ás 20:08 TU
Crescente fino da Lua ás 20:08 TU
A Lua apresentava uma fase de apenas 1,5% e pouco mais de 4 graus de altitude.
1 foto de 2 segundos (Tak+ radian 14mm)